Leilão 461 História, Manuscritos & Curiosidades
Por Ecléctica Leilões
17.6.22
Rua Luísa Todi 12G | 2925-568 Azeitão, Portugal

O leilão terminou

LOTE 27:

Arquivo Gen. Morais Sarmento. CARTA extensa de Armindo Monteiro, datada de 15 de Abril de 1936.

Vendido por: €80
Preço inicial:
80
Comissão da leiloeira: 16%
IVA: 23% Sobre a comissão apenas
identificações:

Arquivo Gen. Morais Sarmento. CARTA extensa de Armindo Monteiro, datada de 15 de Abril de 1936.

Arquivo Gen. Morais Sarmento. CARTA extensa de Armindo Monteiro. 1936, 15 Abril.

Manuscrito sobre papel; autógrafa; 3 ff.

Carta interessantíssima, que patenteia uma reflexão e consciência apurada sobre os dilemas e forças beligerantes que a Europa da Segunda Guerra iria enfrentar. Armindo Monteiro, então Ministro dos Negócios Estrangeiros, dirige-se em forma “particular” ao Major General do Exército tecendo comentários sobre o estado de guerra eminente que se vivia na Europa. “Todos sentem que as sahídas diplomáticas possíveis se vão fechando umas atraz das outras: e só vemos na verdade solução que vão ter, de perto ou de longe, à catástrofe. E o peor é que, por estranha evolução psicológica, os espíritos se estão acomodando a elas”. E no final da missiva apresenta um resumo do cenário geo-estratégico então vivido na Europa: “Tudo o que se passa hoje à nossa volta é extremamente preocupante. Toda a atenção que o político e o militar prestem aos acontecimentos pode dizer-se pouca. Estamos quasi em frente do caos. O desentendimento da França e da Inglaterra, que dia a dia parece agravar-se, é péssimo prenuncio; se dele sahe a falência total da Sociedade das Nações, a Europa fica sem eixo. Os velhos sistemas de equilíbrio diplomático cahiram. E só restará depois, como defeza da paz, a força de cada um, a concordância de interesses de alguns e o favor das circunstâncias. Não se, quanto a nós, tudo isso será grande cousa.”

De salientar que esta consciência sobre os perigos do desiquilibrios da balança de poder na Europa não eram propriedade exclusiva do então Ministro já que “Nos últimos conselhos tem o governo debatido longamente o problema - e com sentido exacto das responsabilidades”. Estamos pois, bem longe, de um Governo totalmente absorvido na Primavera de 1936 pelas preocupações com os perigos impostos pela vizinha Espanha, tal como nos dão a entender grande parte das sínteses históricas.

É, portanto, um extraordinário documento que atesta uma visão mais lata das relações internacionais no Governo de então.

 

Todas as informações contidas no site ECLÉCTICA LEILÕES® são sua propriedade exclusiva e não podem ser reproduzidas sem autorização prévia